Skip to content

UNETE reuniu-se em Congresso Extraordinário

18/12/2009
tags:

Caracas- 6/12/2009 – A União Nacional de Trabalhadores (UNETE) realizou no dia 5 de dezembro a primeira sessão de seu I Congresso Extraordinário, o qual culminará com uma próxima sessão a ser realizada no dia 20 de fevereiro de 2010.

Nesta oportunidade, com o salão Simon Bolívar da UBV completamente lotado de delegados e delegadas eufóricos, de todas as regiões do país e de diversos setores da produção, abordaram assuntos como a situação e a conjuntura nacional e internacional, os princípios da central de trabalhadores, o programa político dos trabalhadores, com vistas à transição ao socialismo e à eleição (em assembleia) de uma direção provisória.

Esta direção provisória funcionará até junho do ano que vem, quando serão convocadas as eleições que legitimarão a direção nacional, que conduzirá a UNETE para o período em que serão estabelecidos seus estatutos.

O evento foi presidido por dirigentes de várias das correntes sindicais que

Crédito: G. Gómez/ Aporrea.org

hoje convergem para a UNETE, como Marcela Máspero, do Colectivo de Trabajadores en Revolución (CTR), Stalin Pérez Borges, da Marea Socialista, Orlando Pérez, dos Educadores Bolivarianos (que também agrupa outros setores de trabalhadores), os quais militam politicamente no PSUV, e Pedro Eusse, da CCCV (que tem origem na CUTV, dirigida por sindicalistas militantes do Partido Comunista de Venezuela).

Houve, entre outros setores, representação dos trabalhadores da energia, indústria farmacêutica, educação, meios de comunicação, gás, petroquímica, petróleo, indústrias básicas, administração pública, bancos, setor têxtil, hotelaria, alimentos, saúde, portos, aeroportos e portos, construção, trabalhadores e trabalhadoras de empresas ocupadas, sob controle operário e empresas expropriadas.

Sobre a conjuntura, examinaram a crise do capitalismo, as particularidades do momento político na América Latina, especialmente na Venezuela, no curso da revolução bolivariana e, neste marco, a situação dos trabalhadores.

Foram estabelecidos como alguns dos princípios da UNETE a autonomia e independência organizativa-funcional e política, a democracia, a solidariedade, o internacionalismo, o caráter classista, o caráter unitário da organização e a igualdade entre homens e mulheres.

O documento programático apresentado aborda as tarefas da classe operária e a transição ao socialismo, o marco histórico em que se justifica este programa. Fala-se na necessidade de uma confederação operária autônoma e democrática para a luta contra o capitalismo, contra o imperialismo e contra a burocracia contra-revolucionária. Contém propostas econômicas que transcendem o caráter reivindicativo, como por exemplo a nacionalização dos bancos, que passariam a ser controlados pelos trabalhadores e pelo povo, o estabelecimento do monopólio estatal sobre o comércio exterior, a nacionalização do conjunto das empresas básicas que estão nas mãos de proprietários privados e transnacionais, a nacionalização de empresas envolvidas em ações golpistas, abandonadas por patrões, as que as que fazem sabotagens e as que estão ocupadas por trabalhadores.

Enfatiza-se a participação democrática dos trabalhadores e trabalhadores em processos de controle da produção, gestão e administração de setores estatais e também a nível privado. Também contempla a luta por justiça social e igualdade, educação, saúde e habitação para todos, de forma gratuita, pública e universal.

Há propostas da classe operária para responder à guerra midiática contra os capitalistas, com a plena democratização dos meios de comunicação, a disponibilidade de meios de comunicação para os sindicatos, comunidades, movimentos sociais e correntes políticas da revolução, os organismos de poder popular. Propõe-se uma institucionalidade operária e popular revolucionária para a transição socialista, para a qual se levanta a conformação de uma grande Conselho Nacional Operário, dos trabalhadores e camponeses, que participe das decisões políticas e de desmonte do Estado burguês. Não poderia faltar a proposta de  mobilização internacional antiimperialista e por direitos dos trabalhadores e povos de todo o mundo.

Tradução: Israel Dutra

Original em espanhol: http://www.aporrea.org/trabajadores/n146626.html

Anúncios

Os comentários estão fechados.

%d bloggers like this: