Skip to content

Revoluções Árabes direto da fonte + Congresso do NPA e Conferência da FNRP Honduras

01/03/2011

Fora Kadaffi!

Por Pedro Fuentes, secretário de Relações Internacionais do PSOL

E agora, Kadaffi?

 

O povo da Líbia está protagonizando heróicas jornadas. Seguindo o exemplo de seus irmãos tunisianos e egípcios, levantam-se agora, contra o regime de Kadaffi.
A diferença daqueles países para a Líbia é que neste pais. A luta esta sendo mais difícil e heróica, pois o regime está enfrentando as manifestações com todo o aparato do Estado, massacrando manifestantes (desarmados!) com aviões e tanques das forças armadas nacionais. Ainda assim, os revolucionários têm triunfado e ocupam uma parte importante do território Líbio. Ante a insurreição popular, Kadaffi inicia a difusão de calúnias, chamando os manifestantes de “ratos e mercenários” e afirmando possuem vínculos com a Al Qaeda, justificando dessa maneira, a brutal repressão. ……LEIA MAIS

 

 

Bem-vindo à revolução: Quatro dias na Tunísia

Por Pedro Fuentes, secretário de Relações Internacionais do PSOL


Tive a sorte de poder passar quatro dias em Túnis, a cidade onde se iniciou a revolução árabe, enviado pelo PSOL; sem dúvida uma experiência inesquecível, talvez a mais intensa e rica que vivi, maior que a queda da ditadura na Argentina ou o Cordobazo no mesmo país. Cheguei em domingo, e cedo, na manhã seguinte me encontrei com Jabel, um revolucionário que passou uma década no exílio e várias mais militando na clandestinidade. Ele é dirigente da Liga de Esquerda Operária, integrante do Movimento 14 de Janeiro. Quando apareceu no lobby do hotel, entre tímido e respeitoso eu o estendi a mão; ele a tomou com um gesto emotivo para dar-me um forte abraço e me dizer “camarada, seja bem-vindo a revolução”. ……LEIA MAIS

 

Caminhando sobre as areias das revoluções

Por Frederico Henriques, colaborador da Secretaria de Relações Internacionais do PSOL.

 Notas sobre o Egito – 25 e 26 de fevereiro de 2011

 Diretamente do Cairo – Eu como a grande maioria dos jovens no mundo não tive a chance de ver, nos últimos 30 anos, uma grande revolução. Os últimos trinta anos foram dados pela toada neoliberal e o retrocesso dos direitos dos povos ao redor do planeta. Salvo a boa referência no Bolivarianismo da América latina e minha simpatia por alguns movimentos antiimperialistas no Oriente Médio, como o Hezbollah, pouco pude ver de experiências de lutas de massa por uma nova sociedade. Felizmente o povo árabe, em especial sua juventude, desde o início da Revolução Tunisiana, vem nos inspirando com seus atos e nos arrastando com seus exemplos. É claro que há especificidades em cada um dos casos e países, mas o que quero tratar inicialmente é a forma apaixonante pela qual se dá a Revolução Democrática em todos estes lugares, inspirando-nos e fazendo renascer a esperança num mudo melhor. ……LEIA MAIS

 A Revolução Egípcia e a Estratégia Estadunidense

Por Hassan Nasrallah

 Primeiro: nós estamos testemunhando uma revolução popular real, uma revolução nacional egípcia real. Muçulmanos e cristãos estão participando dessa revolução, assim como facções islâmicas, os partidos seculares, os partidos nacionalistas e os intelectuais. De fato, todos esses setores das classes populares estão participando dessa revolução: os jovens, velhos, mulheres, homens, padres, artistas, intelectuais, trabalhadores e agricultores. No entanto, o mais importante é a presença da juventude. A partir dessa perspectiva estamos testemunhando uma revolução completa. Segundo: essa é uma revolução da vontade do povo, de sua determinação e de seu compromisso. As pessoas estão se expondo, oferecendo-se como mártires, fazendo sacrifícios e arriscando-se.  ……LEIA MAIS

 

 A Revolução Árabe

Por Silvia Santos – Executiva Nacional do PSOL

 “TODAS AS REVOLUÇÕES SÃO IMPOSSÍVEISATÉ QUE SETORNAM INVEVITÁVEIS”,L. Trotky

As revoluções na Tunísia e no Egito confirmam a magnífica definição de Trotsky. Começou a Revolução Árabe, um verdadeiro terremoto de consequências ainda imprevisíveis. A queda de Mubarak é um primeiro grande triunfo do movimento de massas e uma grave derrota do imperialismo norte-americano, europeu e de seu agente, o Estado de Israel. Toda a revolução nos obriga a acompanhar os acontecimentos à luz da teoria e da experiência anterior. Junto à solidariedade e ao entusiasmo, surgem as necessárias análises e propostas elaboradas por estudiosos políticos, organizações e militantes de toda a parte, com o fim de aportar ao processo revolucionário.  ……LEIA MAIS

 

 Sobre o Congresso do NPA (Novo Partido Anti-Capitalista da França)

Por Pedro Fuentes, secretário de Relações Internacionais do PSOL 

 O PSOL esteve presente no 1º Congresso do NPA (Novo Partido Anticapitalista da França) com uma delegação composta por Ivan Valente, Afrânio Boppré e Pedro Fuentes – única delegação brasileira. Para nossa delegação, realizamos importante tarefa com o estabelecimento de relações políticas internacionalistas e a ampliação do conhecimento sobre a atual situação francesa. O PSOL também esteve presente no Congresso de fundação do NPA acerca de dois anos atrás quando foi representado por Luciana Genro, Luiz Araújo e Pedro Ruas. Desde já queremos registrar que nossa delegação foi muito bem acolhida e marcamos uma forte presença. ……LEIA MAIS

 

 Primeira Plenária Nacional da FNRP de Honduras: um grande salto organizativo e político

Por Pedro Fuentes, Secretário de Relações Internacionais do PSOL 

A FNRP reuniu cerca de 2 mil delegados/as provenientes de 18 departamentos que compõem o país.Os delegados foram eleitos em assembléias municipais e departamentais. Também participaram delegados do departamento “19”, formado por imigrantes hondurenhos que vivem em cidades dos EUA e Canadá, e que também se organizam na FNRP. A Plenária Nacional foi um acontecimento fundamental de avanço desta poderosa organização social e política que é a FNRP. ……LEIA MAIS

Anúncios

Os comentários estão fechados.

%d bloggers like this: