Skip to content

A Morte de Bin Laden “é muito menos importante que as revoltas populares no mundo árabe”

09/05/2011

Entrevista com Robert Fisk por Richard Stubbs

De www. socialismo-o-barbarie.org

“Penso que Osama Bin Laden deixou de ser relevante a muito tempo”

 

 O jornalista veterano Robert Fisk, que já entrevistou Osama Bin Laden em três ocasiões, diz que a notícia da sua morte é muito menos importante que as revoltas populares do mundo árabe:  “Estão dizendo um monte de bobagens sobre o ‘homem de meia idade que foi assassinado no Paquistão’. Venho dizendo há algum tempo que, ao meu juízo, a questão se ele está vivo ou morto é pouco importante”, afirma o correspondente do Oriente Médio do jornal inglês The Independent.

 “No que diz respeito a Bin Laden, ele fundou a Al-Qaeda, e do seu ponto de vista essa foi sua conquista”. O premiado jornalisra diz que, atualmente, Osama Bin Laden não estava em situação de dirigir realmente as atividades da Al-Qaeda.

 “Não estava sentado em uma caverna diante de um computador apertando o botão B e dizendo ‘Lançem a operação 52!’”, afirma Robert Fisk. Fisk, que recentemente reportou os eventos da Síria, diz que o mundo mudou em muitos sentidos desde o 11 de setembro.

 “Nos últimos meses assistimos ao despertar dos povos árabes, no qual milhões de muçulmanos árabes derrubaram seus próprios governantes. Bin Laden sempre quis terminar com Mubarak, Bem Ali e Khadaffi, além de outros governantes, acusando-os de serem infiéis, e serviçais dos EUA. Porém, pelos fatos se vê que milhões de pessoas comuns na Tunísia e no Egito acabaram com eles de forma mais ou menos pacífica. Não foi Bin Laden quem o fez, e nisso ele fracassou! É preciso recordar que estes regimes sempre disseram aos EUA que continuassem os apoiando, pois do contrário a Al-Qaeda tomaria o pode. E efetivamente não foi assim. É interessante que depois da queda de Mubarak, o primeiro que se soube de Al-Qaeda foi um chamado a derrotar Mubarak… Uma semana depois de que já o haviam derrubado! Foi patético”.  

 Fisk conlue que as celebrações nos EUA pela morte de Bin Laden não tem tanto sentido: “Penso que Osama Bin Laden deixou de ser relevante a muito tempo. Se o tivessem matado um ano ou dois depois do 11 de setembro, os festejos dos EUA teriam sentido. Tudo isso gera um ar de vitória dos EUA – é uma boa foto – mas não creio que signifique absolutamente nada. O fato fundamental é o que está ocorrendo agora no mundo: o importante é o levantamento massivo e o despertar de milhões de árabes muçulmanos que querem derrubar seus ditadores”.

Robert Fisk diz que estes levantes são “muitíssimo mais importantes que o fato de haverem matado um homem de meia idade no Paquistão”

Anúncios

Os comentários estão fechados.

%d bloggers like this: